Fazenda Boa Vista

Do alto da Mantiqueira

 Localizada no Km 4 da estrada que liga as cidades de Dom Viçoso a Maria da Fé, no Sul de Minas, a Fazenda Boa Vista, além de produzir cafés de qualidade, oferece (como diz o nome) uma linda e privilegiada visão panorâmica de um pedaço da Serra da Mantiqueira.

 Foi por volta do ano de 1884 que a Fazenda Boa Vista começou a existir. Ainda fazia parte da chamada Fazenda do Rosário, naquela época, recém-fundada pelo jovem fazendeiro Custódio Theodoro Ribeiro de Carvalho, compreendendo uma parte significativa do então Distrito de Rosário de Dom Viçoso, que ainda pertencia ao município de Silvestre Ferraz, hoje Carmo de Minas. Ali, Custódio criava gado leiteiro e em pouco tempo já iniciava o cultivo de café. Terras virgens, topografia acidentada, clima com máximas e mínimas excelentes para o cultivo do coffeearábica: com isso, “seu Custodinho” iniciou o plantio do café, que se aprimorou a cada modernidade que chegava com pesquisas, experimentos e com o aprendizado que a vida proporcionava.

 

Fazenda Boa Vista: terras virgens e topografia acidentada. Foto André Sena.

 Nascimento e aprimoramento

Com a morte de Custódio, em 1954, Maria Aparecida Carvalho Ferraz, filha dele, junto do marido, Pedro Carlos Junqueira Ferraz, herdou a parte mais alta da fazenda — aquela lá em cima, em meio ao mar de morros! —, que naturalmente foi chamada de “Boa Vista”, em razão da privilegiada vista panorâmica que dali se tem, onde os olhares admirados ultrapassam a cidade de São Lourenço, chegando até as serras de Caxambu, Baependi, Cruzília e Aiuruoca.

A bela e privilegiada vista da Serra da Mantiqueira.

Nessa nova propriedade, o cultivo do café se iniciou no ano de 1975, com as variedades Bourbon, Icatu, Catuaí, Acaiá e Novo Mundo. Em 1986, o casal de proprietários dividiu a fazenda entre os filhos. Hoje a produção de café é tocada pelos irmãos Flávio, Marcelo e César Ferraz, que, desde então, vêm buscando incessantemente o aprimoramento das lavouras por meio de mudas certificadas, acompanhamento de agrônomos nas diversas fases da produção, utilização de técnicas contemporâneas e sustentáveis, modernização das instalações e da maquinaria e qualificação da mão de obra, garantindo a melhora da qualidade dos grãos do coffea arabicaano após ano.

A casa sede, com projeto arquitetônico de do arquiteto Marcelo Ferraz.

Além do aprimoramento nas técnicas de cultivo e de processamento dos grãos, a Fazenda Boa Vista conta com terras excelentes para o café, além da altitude média de 1.200 metros, fatores que concorrem para a excelência da bebida no preparo final. Pode-se dizer que ali se encontra o verdadeiro terroir, ou seja, a interação da terra com o clima, sob as habilidades humanas. O resultado dessas privilegiadas características da região, somado aos cuidados e à seriedade dos trabalhos ali desenvolvidos, culminou em premiações significativas conquistadas nos últimos dez anos, com os cafés destacando-se em importantes concursos como BSCA, Emater, Cocarive e Mantiqueira de Minas (Veja quadro no final do texto).

Preservação de nascentes e ampliação da vegetação de Mata Atlântica.

Casa nova e reserva frutífera

Como parte do programa de melhorias da fazenda, foi inaugurada em 2011 a nova casa-sede, com projeto arquitetônico de um dos próprios sócios, o arquiteto Marcelo Ferraz. Como atividade de interesse ambiental, além da preservação de nascentes e da ampliação da vegetação de Mata Atlântica nas margens do ribeirão que percorre as terras da fazenda, está sendo implantada uma reserva de plantas frutíferas nativas do Brasil, sendo a maioria delas de grande raridade e até mesmo ameaçadas de extinção. As mais de duzentas espécies botânicas estão todas devidamente classificadas e catalogadas, a fim de, num futuro próximo, prestarem-se à pesquisa científica e ao aproveitamento culinário.

Altitude média de 1200m. Foto André Sena.

Premiações dos
cafés da Fazenda Boa Vista

2009 – 2º colocado – Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais)

2013 – 3º colocado – Cocarive (Coop. dos Cafeicultores do Vale do Rio Verde)

2016 – 1º colocado – Cocarive

2016 – 1º colocado – Mantiqueira de Minas

2016 – Finalista – BSCA

2017 – 2º colocado – Cocarive

2017 – 1º colocado do Sul de Minas – Emater

2018 – 1º colocado do Sul de Minas – Emater

2018 – 2º colocado do Sul de Minas – Emater

2018 – 1º colocado – Mantiqueira de Minas

2018 – 16º colocado na etapa internacional do concurso BSCA

2018 – 25º colocado na etapa internacional do concurso BSCA

 

A luz do amanhecer entre as cidades de Dom Viçoso e Maria da Fé. Foto André Sena.