A cidade conhecida como o “Portal de Minas” revela toda a sua potencialidade turística ao organizar roteiros repletos de atrativos. Candidata a se tornar uma das sub-sedes da Copa de 2014, Extrema — integrante do Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas — afirma ser referência em qualidade de vida e em desenvolvimento sustentável.

Reportagem: Assad Abrahão
Fotos: Rogério Alves Dias

A cidade é emoldurada pela Serra da Mantiqueira exatamente nadivisa com São Paulo, é o derradeiro ou o primeiro, depende doponto de vista, município mineiro naquelas caminhos outrora per-corridos pelo bandeirante Fernão Dias Paes.

Extrema, conhecida como o “Portal de Minas”, onde vivem cerca de 28mil pessoas, revela sua potencialidade para o turismo não só pela sua privilegiada localização — fica a apenas 100 km de São Paulo e muito próxima de consagrados destinos turísticos como Monte Verde, distrito da vizinha Camanducaia e de Campos do Jordão — como também pelas belas paisagens de uma região acidentada e muita rica em mananciais de água, com destaque para o rio Jaguari, que banha aquelas terras altas.

A atividade turística em Extrema é organizada de uma forma muitointeressante pela prefeitura municipal. A cidade, que integra o CircuitoTurístico Serras Verdes do Sul de Minas, oferece cinco rotas para o turista: dos ventos, das águas, do sol, das rosas e das pedras. Outro importante atrativo é o Hotel Fazenda das Amoreiras, um colosso que ocupauma área de 700 mil metros quadrados e foi pré-classificado como Centro de Treinamento de Seleções – Base Camp, já que Extrema é uma das candidatas mineiras a sub-sede da Copa de 2014. “Cada uma destas cinco rotas turísticas apresenta atrativos naturais, equipamentos eserviços. O objetivo do projeto é levar à comunidade e aos turistas asbelezas do município, fator que alavanca fortemente o setor. A roteirização turística identifica possíveis rotas e roteiros, além de capacitar acadeia produtiva em bem atender”, descreve o Departamento Municipalde Turismo e Cultura, dirigidos por Ana Paula Odoni, a Poli (turismo) e Pablo Farina Prego Júnior (cultura).

Rotas de atrativos

Do primeiro roteiro, dos ventos, os principaisatrativos são as íngrimes trilhas rumo ao cumeda Serra do Lopo. Tanto de carro quanto de motoou mesmo à pé, é muito agradável subir o trecho de seis quilômetros em meio à Mata Atlântica e os campos rupestres. O cume da serra, que demarca a divisa de Minas Gerais e São Paulo, proporciona um linda vista das águas represadas dos rios Jaguari e Jacareí no município paulista de Joanópolis. A propósito, as nascentes e águas que correm em Extrema fazem parte do Sistema Cantareira, um dos principais mananciais de abastecimento do Brasil, que leva água para a grande São Paulo e para os municípios localizados na bacia do Rio Piracicaba.

Os praticantes de esportes de aventura como o voo livre têm à disposição duas rampas para decolagem no alto da serra a 1.600 metros de altitude. A rampa do sul é justamente a que se volta para paisagem desenhada pelo lago artificial e de onde se avista também os espigões formadores das encostas da Serra da Mantiqueira. Na rampa do norte, avista-se praticamente todoo município de Extrema e ao fundo a Serra das Anhumas. Além do mais, existem pontos estratégicos para a prática de escalada e de rapel. Os extremenses guardam como uma de suas principais tradições as caminhadas pela Serra do Lopo. O visitante também pode conhecer nesta rota o convento do Padre Antonio Maria ou Casa Ain Karin, que significa ‘fonte vida’ — um retiro para quem procura a paz da espiritualidade cristã —, as fornalhas de carvão desativadas nosanos de 1940, as trincheiras da Revolução de1932, a Trilha do Pinheirinho (área de proteção ambiental tombada) e as pedras da Flores, dos Cinco Dedos e do Cume, o ponto culminante, com 1780 metros.

Projeto Conservadordas Águas

A rota das águas teve como base inicial a implantação do Projeto Conservador das Águas que, conforme informa a Prefeitura Municipal, é “voltado para a recuperação das matas ciliares, conservaçãoe recuperação de nascentes”. Ainda segundo a prefeitura, trata-se de “um projeto ambientalista pioneiro no Brasil, reconhecido e visitado por turistas e comunidades de diferentes países”.

O principal atrativo deste roteiro é o bem cuidado e agradável Parque Municipal Cachoeira doSalto, a sete quilômetros do centro. Sede doProjeto Conservador das Águas, o parque temuma ótima infraestutura como restaurante, lanchonete, lojas de artesanato, parque de diversões para crianças, aparelhos de ginástica e trilhas para passeios muito bem cuidadas, além dacachoeira do Salto, cuja força da correntezaimpede os banhos, mas que é muito bonita de se ver, além de ser um ponto para a prática de rafting e bóia cross. O rio Jaguari, inclusive, é excelente para a prática destes esportes, por isso já é consagrado entre os esportistas — as cachoeiras e corredeiras são de níveis IV e V — e muito procurado também pelos visitantes. Alambiques, cachaçarias, apiário e a histórica Capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, erguida a pau a pique na década de 1920 e tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico, são os outros atrativos desta rota.

A natureza plena é o que oferece a rota do sol: as bonitas cachoeiras como das Anhumas, Três Quedas e do Arco Íris são perfeitas para revigorantes banhos e as trilhas convidam para passeios de jipes, motos e bicicletas — para quem está com o fôlego em dia. No caminho há tempo para comprarartesanato típico e saborear doces mineiros.

Santuário de Santa Rita de Cássia

O convite que faz a rota das rosas é para que o turista caminhe pelas ruas da cidade. Logo destaca-se o Santuário de Santa Rita de Cássia, na Praça Getúlio Vargas. A condição de santuário da paróquia de Extrema — fato acontecido em 10 de Maio de 2008 — se deve à posse de duas importantes relíquias, um fragmento de osso e uma parte de um manto vestido pela santa. Há ainda dentro da igreja uma cópia idêntica da imagem do corpo de Santa Rita, uma criação do escultor italiano Stefano Starace. Vale muito a pena conhecer as obras em cobre martelado do mosaicista e artista plástico ítalo-brasileiro Alfredo Mucci, que residia em Extrema onde manteve o seu ateliê até o seu falecimento, em 1984.

Mussi é um nome ilustre da arte dos mosaicos. Ele decorou várias igrejas em Minas Gerais, inclusive a de Santa Rita — onde utilizou linguagens artísticas em forma de esculturas e ícones— com painéis, murais e obras de revestimento. Uma obra de grande destaque de sua autoria foi a do revestimento interno da Igreja do Carmo, de Belo Horizonte. O artista ítalo-brasileiro criou os grandes painéis do coro e as estações da ViaCrucis nas paredes laterais.

Outro local que merece elogios é o Parque Municipal de Eventos que conta com o bem equipado Cine Teatro — uma sala de qualidade, um ótimo espaço para shows, peças e diferentes tipos de eventos. O lugar oferece umcampo de futebol com medidas oficiais, quadras para vôlei, basquete e futsal, quadras de tênis, pista para skate e patins e pista para corridas e caminhadas. Interessantes esculturas e a bela vista para o verde da serra decoram o parque, um espaço de alta qualidade muito utilizado pela população.

A última rota é dedicada às pedras. Nesta trilha, mistura-se o misticismo de um retiro budista, as capelas rurais, uma fazenda produtora de queijo artesanal, as pinturas rupestres da Pedrado Índio e, é claro, mais cachoeiras. Opções para percorrer esse roteiro: jipe, moto e cavalos.

Qualidade vida

Extrema faz jus ao codinome “Portal deMinas” pela estratégica localização às margens da importante rodovia Fernão Dias, a BR 381. Isso já havia sido observado no longínquo ano de 1764 quando o então governador de Minas Gerais, General Luiz Diogo da Silva resolveu instalar um “Registro” às margens do rio Jaguarí. Somente no ano de 1871 é que tornou-se um distrito com o nome de Santa Rita de Extrema e em 1902 torna-se o município de Extrema.

O município hoje sedia importantes companhias de grande porte como as indústrias Panasonic, Fagor Ederlan e as alimentícias Kopenhagen e Bauducco.

A prefeitura informa que o Índice Mineiro de Responsabilidade Social – IMRS, elaborado pela Fundação João Pinheiro — que analisa sete indicadores de qualidade vida nos 853 municípios mineiros — classifica Extrema como a primeira do estado no indicador meio ambiente.

De fato, a cidade destaca-se pelo reconhecimento ao projeto Conservador das Águas. O projeto é um dos mais votados no prêmio Greenvana Greenbest 2012, dedicado às melhores iniciativas de sustentabilidade do país. “O objetivo da premiação é ressaltar iniciativas profissionais, produtos e projetos para, assim, criar exemplos capazes de guiar o mercado de sustentabilidade que cresce e se aprimora”, informa a Greenvana, um portal de internet “líder em sustentabilidade para o mercado de consumo do Brasil er eferência em conteúdo e produtos para o dia a dia de empresas e pessoas que se importamcom sustentabilidade”.

O primeiro impacto de quem chega ao município “Portal de Minas”, cruzando o propriamente dito portal de entrada, é reconhecer que Extrema é bem cuidada e com uma boa infra-estrutura urbana. Da ampla avenida que dá acesso à cidade, chega-se muito rapidamente à agradável praça Getúlio Vargas, decorada pelo Santuário de Santa Rita de Cássia. A Serra da Mantiqueira em torno desenha uma paisagem bela de se ver. Nesta mesma praça, destaca-se o Centro de Informações Turísticas, decididamente uma referência em turismo receptivo e algo raro em Minas Gerais.

Os espaços de lazer dedicados à comunidade e aos visitantes, como os parques administrados pela prefeitura citados nesta reportagem, também são referências de qualidade. Porém, exceto o Hotel Fazenda das Amoreiras e de algumas possibilidades no entorno, são poucas as opções de hospedagem, principalmente na área central. Pelo movimento de negócios da cidade, é difícil encontrar leitos em pousadas (com instalaçõesmuito simples) e hotéis. Um delas, inclusive, temo sugestivo nome “Se der sorte …”.

Todavia, isso não impede a cidade de construir um efervescente calendário de festas e eventos. Em maio, tem a concorrida festa religiosa de Santa Rita de Cássia. Em Junho, acontece a Festa do Peão Boiadeiro, em sua 26º edição. Em julho, o movimento fica por conta dos eventos “Extremamente Caipira”, que completa 11 anos neste ano de 2012; da 8ª Extrema Mostra deTeatro e da 41º Festival Nacional da Canção — é isso mesmo, mais de quatro décadas promoven-do este festival dedicado à música. O aniversário da cidade é comemorado em setembro e em novembro mais dois grandes acontecimentos: a 4ª Festa do Imigrante e a 2ª Semana de Arte Alfredo Mussi – Hosama Ortiz Portal das Artes.

Não há o que discutir, Extrema está aberta a muitas descobertas, seja no ecoturismo, no turismo de aventura, no religioso e até no turismo de negócios — basta atravessar o “Portal de Minas.